O curso ideal para um bom cuidador

Cuidador

O cuidador de idosos, de enfermos, de crianças e até mesmo de pets têm uma coisa em comum: paciência.

Esse profissional não é responsável somente pela parte física de quem está sendo cuidado, mas também da parte mental e de tudo que envolve esse zelo que deve ser mantido no momento do acompanhamento.

Quais as características de um bom cuidador?

Uma pessoa que cuida de alguém debilitado tem que entender que é mais difícil para a pessoa que está nessa situação do que para o próprio cuidador e, ter essa mentalidade aberta, ajuda muito na hora que esse especialista exerce sua profissão.

Respeitar as limitações de alguém que não tem condições de se cuidar sozinho mais é uma regra para todos os casos que citamos e, hoje, existem até cursos que ensinam a prática de cuidador.

Como escolher um bom curso de cuidador

Um curso de cuidador de idosos, por exemplo, costuma durar 184 horas, em algumas instituições de ensino, mas existem mais tipos de pessoas e até mesmo animais que necessitam desse acompanhamento.

Mas, para escolher um curso desse tipo não podemos nos atentar somente à carga horária, afinal, aprender a cuidar de alguém dependente de um auxiliar é muito mais importante do que o tempo que levamos dentro de uma sala de aula ou assistindo vídeos online.

Um profissional que pretende entregar um serviço humanizado deverá ser genuíno e gostar mesmo de exercer essa função, já que, a paciência é uma virtude que depende de cada ser humano.

Um bom curso ensinará as limitações dessas pessoas, colocará os alunos em situações que o dependente passa como dificuldade de locomoção, para que o estudante entenda como é difícil estar na posição do outro.

Esse tipo de atitude que sempre vem baseada no respeito ao próximo é um conteúdo

obrigatório em um bom curso de cuidador, seja ele de idoso, de enfermo, de criança.

Nichos para cuidadores

Quem se especializa em um curso para cuidador, encontra no mercado de trabalho 4 nichos principais que estão sempre precisando desses especialistas e, falaremos sobre cada um deles, abaixo.

Cuidadores de enfermos

Os cuidadores de enfermos devem ser muito atenciosos na forma que tratam seus pacientes, pois, essas pessoas, além de possuírem as limitações da doença, ainda sofrem muito com as questões psicológicas de ter que aceitar os cuidados de outrem.

Os especialistas nesse tipo de caso devem ser muito pacientes, já que alguns enfermos estão nessa situação de forma temporária e não aceitam a doença como uma limitação.

Pelo contrário, muitos acreditam que a doença não irá parar eles e acabam pensando que podem lutar contra a realidade que os obriga a ficarem deitados a maior parte do tempo.

Outra questão que envolve enfermos é a troca, já que, nos casos de enfermidade momentânea, as pessoas não estão acostumadas a serem trocadas, então, abdicar da privacidade para que um profissional troque nossas roupas, quando estamos doente, é muito difícil e o cuidador deve ter muito profissionalismo para fazer isso sem ofender o enfermo.

Cuidadores de idosos

Os principais cuidadores que se especializam, fazem isso pensando em cuidar das pessoas mais velhas, mas, engana-se quem pensa que essa é uma opção mais fácil de ser realizada.

Apesar do fato de que alguns idosos são muito bondosos e prontos para aceitar ajuda, nem todos se enquadram nessa característica e os profissionais que cuidam dessas pessoas devem ser muito atenciosos.

Alguns idosos podem ser muito orgulhosos e acabam negando qualquer tipo de ajuda, mesmo que o especialista tenha paciência na abordagem do idoso.

Nesses casos, o cuidador deve entender que essa pessoa mais velha tem seus costumes que foram fixados em seu modo de ser há muitos anos e que nenhum cuidador mudará isso tão facilmente.

Cuidadores infantis

Apesar de existirem creches, nem todos os pais têm acesso a essas instituições, então alguns contratam cuidadores infantis e, esses profissionais devem ser muito pacientes, já que, as crianças demoram pra dar autoridade para essas pessoas, quando isso acontece.

Alguns filhos costumam obedecer somente os pais, então, quando se deparam com uma pessoa que não conhecem, mas que estão mandando eles obedecerem, os pequenos tornam-se rebeldes.

Por isso, um especialista que tenha feito um curso que ensina como tratar as crianças de maneira profissional estará à frente de muitos que simplesmente tentam medir forças com os pequenos.

Cuidadores de pets

Entre as opções que citamos aqui, essa é a que pode ser considerada mais fácil, já que, apesar de exigir paciência também, o cuidado com os pets costuma ser mais previsível.

Pois, os animais que precisam de cuidados não exigem isso como as crianças e os idosos, por exemplo, já que, basta alimentar, passear, dar banho e manter o pet entretido.

O especialista pode não precisar de tanta paciência para cuidar de um animal doméstico, mas para cuidar dos donos que os tratam como bebês, com certeza, isso será cobrado do cuidador.