4 soluções para reduzir o chulé nos pés

As pessoas têm que percorrer um longo caminho em suas vidas, mas muitas vezes esquecem nossos pés mais importantes. Mil milhas começam com um único passo. Nossos pés nos acompanham por milhares de montanhas e rios até o fim de nossa vida, devido ao alto índice de utilização, devemos estar mais protegidos.

O envelhecimento começa com os pés. A analogia médica dos pés é o segundo coração do corpo humano. De acordo com as estatísticas da American Podiatric Association, uma pessoa enérgica caminha cerca de 10.000 passos por dia e caminha uma média de 115.000 milhas ao longo da vida. 

Aproximadamente 179.442 quilômetros e acima, às vezes suando, rachando, descamação, coceira, fedorento, como cuidar dos pés é muito importante.

Os sapatos podem proteger os pés e ter um grande impacto na saúde dos pés. No entanto, depois de calçar meias e sapatos todas as manhãs, ambos os pés ficam enfiados nos sapatos. 

O ambiente úmido e quente misturado ao suor pode gerar um grande número de bactérias, que se acumulam por um longo tempo. As mais brandas levam à formação de chulé, o mais severo pode se tornar um pé de atleta. É especialmente embaraçoso quando você tem que tirar os sapatos. 

O cheiro forte de peixe salgado depois de tirar os sapatos é muito embaraçoso e afeta as emoções. Algumas pessoas têm até um sentimento de inferioridade devido aos pés ruins.

Comparado com os pés, o material dos sapatos masculinos também pode causar chulé. Muitas pessoas costumam escolher a beleza, a moda ou o preço baixo como prioridade ao comprar sapatos e muitas vezes ignoram a importância de sapatos adequados para a saúde dos pés. 

Por exemplo, materiais não respiráveis ​​para calçados, como couro sintético e meias de seda, são muito sufocantes, de modo que o suor nos pés não evapora facilmente e é mais provável que cause chulé.

Também há pessoas que só usam sapatos sem meias, de modo que o suor do pé atinge diretamente os sapatos, o que pode aumentar o chulé. É melhor usar meias de algodão que absorvem o suor para absorver o suor dos pés e manter as solas dos pés secas para evitar o odor dos pés.

Dê aos seus pés uma chance de respirar mais. Depois de ir para casa e tirar os sapatos, você pode borrifar um pouco de refrigerante ou pó de talco nos sapatos para absorver a umidade. 

Coloque os sapatos na varanda para ventilação, o que ajudará a remover o odor dos sapatos. Espere até de manhã. Quando quiser usá-lo, basta bater os dois sapatos um contra o outro e tirar o pó e você pode usá-lo.

Além disso, você também pode colocar os sapatos ao sol em tempo hábil para matar e esterilizar. Quando exposto ao sol, você pode tirar as palmilhas e expô-las completamente ao sol para ajudar a manter seus pés secos.

1. Remédio para remover o chulé

Anormalidades dietéticas de longo prazo, como comer em excesso ou não comer vegetais e frutas, reduzem a digestão e o metabolismo do corpo. Portanto, é necessário evitar que o suor produza metabólitos pungentes e suplementar nutrientes também é uma das maneiras de prevenir o chulé.

2. Banho de pés com bicarbonato de sódio

O odor dos pés é principalmente derivado da acidez do suor, que origina o crescimento bacteriano. O bicarbonato de sódio fracamente alcalino pode neutralizar o ácido e o álcali para obter o efeito de melhorar o odor dos pés.

Método

Adicione 1 litro de água morna à bacia e, em seguida, despeje 3 colheres de sopa de bicarbonato de sódio. Depois de mexer, deixe os pés de molho por cerca de 10-15 minutos. Enquanto persistir, você pode efetivamente melhorar o problema do chulé.

3. Vinagre branco + água quente para os pés

Ao tomar banho à noite, coloque água morna quente na bacia, despeje 10 a 15 ml de vinagre branco e mergulhe seus pés por cerca de 10 a 15 minutos todas as noites. Isso pode não só desodorizar, mas também esterilizar e prevenir o chulé nos pés.

4. Pés de cinzas espinhosas

Coloque 30 gramas de pimenta em um recipiente e ferva em fogo alto, depois cozinhe em fogo baixo por 20 minutos. Mergulhe os pés enquanto a água está quente. Use esta receita para molhar os pés com frequência. Ela pode melhorar os sintomas de chulé e deixa os pés mais saudáveis.

 

Cirurgias a laser: a tecnologia na medicina que deu certo

Cuidados com a visão

Nos dias atuais, todos podemos concordar que a tecnologia superou muitas barreiras e trouxe uma maior qualidade de vida para todas as pessoas de uma forma geral. 

Por conta desses inúmeros avanços tecnológicos na área da saúde, a qualidade de vida e o tempo de vida das pessoas têm aumentado muito.

Pensando nessa temática, no artigo de hoje falaremos sobre as famosas cirurgias a laser: a tecnologia na medicina que deu certo!

Medicina tecnológica em expansão

Atualmente, engana-se quem pensa que a tecnologia só está presente nos aparelhos eletrônicos e nos computadores. A tecnologia está cada vez mais forte e presente também no meio da saúde e no meio hospitalar.

A medicina tecnológica se encontra em vasta expansão, e com uma tendência de crescer ainda mais nos anos seguintes. 

A missão da medicina é salvar vidas e promover mais qualidade de vida para as pessoas que estão doentes, então esse foco se manterá muito firme e podendo contar com muitas novidades e inovações, como acontece com o uso do laser nas cirurgias.

No tópico a seguir, vamos entender melhor como funciona o uso do laser nas cirurgias de todo o mundo.

Como é o laser utilizado em cirurgias

Do começo do século XXI para os dias atuais, muitos médicos têm optado em fazer cirurgias a laser ao invés das cirurgias que literalmente cortam a pele ou regiões do corpo dos seus pacientes.  

A cirurgia a laser tem como processo o envio de uma radiação eletromagnética que é feita para cortar os tecidos durante a cirurgia.

A cirurgia a laser, além de ser indolor, conta com um menor tempo de recuperação. As áreas da oftalmologia, coloproctologia e neurologia costumam usar com mais frequência o método de cirurgia a laser. 

Algumas cirurgias que se descomplicaram com o uso do laser

Abaixo, segue uma relação de algumas cirurgias que se descomplicaram com o uso do laser em sua realização:

  • Coloproctologia;
  • Cirurgia na próstata;
  • Hidrocefalia;
  • Hidrocefalia secundária;
  • Estenose de aqueduto;
  • Neurocisticercose; 
  • Tumores intraventriculares;
  • Miopia;
  • Hipermetropia;
  • Astigmatismo;
  • Cirurgias de catarata.

Todas as cirurgias mencionadas acima foram muito facilitadas com o uso do laser em sua realização. Os médicos notaram muitos efeitos positivos nas cirurgias a laser nesses casos específicos, como:

  • Menor tempo de recuperação no pós operatório; 
  • Pós-operatório mais rápido e com menos dor e complicações;
  • O laser evita sangramentos;
  • Ajuda nos problemas de cicatrização;
  • O laser evita o ressurgimento das doenças pela sua efetividade;
  • A cirurgia a laser conta com um menor tempo na própria operação;
  • Ela reduz custos;
  • Ela reduz riscos de complicações;
  • As cirurgias a laser são mais precisas e seguras;
  • Elas contam com mais rapidez e facilidade no seu processo;
  • Muitas cirurgias a laser dispensam a necessidade de internação do paciente.

Retirada da vesícula

Quando a vesícula biliar de um paciente apresenta problemas, como a formação de pedras na região, o paciente pode precisar realizar uma cirurgia para a retirada da vesícula, por meio de uma técnica chamada comumente de colecistectomia.

A cirurgia para a retirada da vesícula, apesar de dita como feita a laser, é na verdade, feita por videolaparoscopia (uma técnica cirúrgica minimamente invasiva no corpo do paciente). 

A cirurgia laparoscópica a laser é muito vantajosa por ser bem menos invasiva, são abertos apenas quatro mínimos furos no abdômen do paciente, por onde são introduzidos o material necessário para a retirada das pedras e uma pequena câmera, que guiará todas as ações do médico responsável.

Os riscos de complicações são muito baixos em cirurgias desse porte, sendo raros de ocorrer, mas, como em qualquer situação médica, são possíveis. As vantagens estéticas e de auto estima são enormes nesses casos que podem contar com a cirurgia a laser.

Catarata

A catarata é uma das doenças dos olhos mais comuns em todo o mundo, muitas pessoas que têm catarata acabam perdendo completamente a sua visão se a mesma não for devidamente tratada.

Quando é devidamente tratada com a cirurgia a laser, o caso se torna reversível e a pessoa pode sim voltar a enxergar muito bem. O procedimento substitui o cristalino opacificado e danificado do olho por uma nova lente artificial.

Como visto acima, a cirurgia a laser é muito pouco invasiva e no caso da catarata, os riscos da cirurgia são praticamente nulos. É um dos procedimentos médicos mais seguros de se fazer em todo o mundo.

Neurocirurgias

Nas cirurgias que são tratadas com laser, a hidrocefalia é uma delas. Estudos mostram que 30% dos pacientes com hidrocefalia podem ser tratados com a técnica de cirurgia a laser. 

Com essa cirurgia, os portadores não necessitam do implante definitivo da prótese de derivação ventricular, essa novidade traz uma imensa redução de custos e de riscos de complicações sérias para essas pessoas.

Considerações finais

A cirurgia a laser traz inúmeros benefícios para a saúde das pessoas que podem realizá-la. Com o avanço e investimento na tecnologia da saúde, certamente esse número só irá aumentar, tanto de pessoas, quanto de doenças que o laser pode auxiliar a curar.

Por conta disso, é muito importante que o Brasil invista em tecnologia e em estudos voltados para a saúde, visando assim, um país forte nesse meio e que dispõe de boas ferramentas para ajudar a sua população com os seus inúmeros problemas de saúde.

O curso ideal para um bom cuidador

Cuidador

O cuidador de idosos, de enfermos, de crianças e até mesmo de pets têm uma coisa em comum: paciência.

Esse profissional não é responsável somente pela parte física de quem está sendo cuidado, mas também da parte mental e de tudo que envolve esse zelo que deve ser mantido no momento do acompanhamento.

Quais as características de um bom cuidador?

Uma pessoa que cuida de alguém debilitado tem que entender que é mais difícil para a pessoa que está nessa situação do que para o próprio cuidador e, ter essa mentalidade aberta, ajuda muito na hora que esse especialista exerce sua profissão.

Respeitar as limitações de alguém que não tem condições de se cuidar sozinho mais é uma regra para todos os casos que citamos e, hoje, existem até cursos que ensinam a prática de cuidador.

Como escolher um bom curso de cuidador

Um curso de cuidador de idosos, por exemplo, costuma durar 184 horas, em algumas instituições de ensino, mas existem mais tipos de pessoas e até mesmo animais que necessitam desse acompanhamento.

Mas, para escolher um curso desse tipo não podemos nos atentar somente à carga horária, afinal, aprender a cuidar de alguém dependente de um auxiliar é muito mais importante do que o tempo que levamos dentro de uma sala de aula ou assistindo vídeos online.

Um profissional que pretende entregar um serviço humanizado deverá ser genuíno e gostar mesmo de exercer essa função, já que, a paciência é uma virtude que depende de cada ser humano.

Um bom curso ensinará as limitações dessas pessoas, colocará os alunos em situações que o dependente passa como dificuldade de locomoção, para que o estudante entenda como é difícil estar na posição do outro.

Esse tipo de atitude que sempre vem baseada no respeito ao próximo é um conteúdo

obrigatório em um bom curso de cuidador, seja ele de idoso, de enfermo, de criança.

Nichos para cuidadores

Quem se especializa em um curso para cuidador, encontra no mercado de trabalho 4 nichos principais que estão sempre precisando desses especialistas e, falaremos sobre cada um deles, abaixo.

Cuidadores de enfermos

Os cuidadores de enfermos devem ser muito atenciosos na forma que tratam seus pacientes, pois, essas pessoas, além de possuírem as limitações da doença, ainda sofrem muito com as questões psicológicas de ter que aceitar os cuidados de outrem.

Os especialistas nesse tipo de caso devem ser muito pacientes, já que alguns enfermos estão nessa situação de forma temporária e não aceitam a doença como uma limitação.

Pelo contrário, muitos acreditam que a doença não irá parar eles e acabam pensando que podem lutar contra a realidade que os obriga a ficarem deitados a maior parte do tempo.

Outra questão que envolve enfermos é a troca, já que, nos casos de enfermidade momentânea, as pessoas não estão acostumadas a serem trocadas, então, abdicar da privacidade para que um profissional troque nossas roupas, quando estamos doente, é muito difícil e o cuidador deve ter muito profissionalismo para fazer isso sem ofender o enfermo.

Cuidadores de idosos

Os principais cuidadores que se especializam, fazem isso pensando em cuidar das pessoas mais velhas, mas, engana-se quem pensa que essa é uma opção mais fácil de ser realizada.

Apesar do fato de que alguns idosos são muito bondosos e prontos para aceitar ajuda, nem todos se enquadram nessa característica e os profissionais que cuidam dessas pessoas devem ser muito atenciosos.

Alguns idosos podem ser muito orgulhosos e acabam negando qualquer tipo de ajuda, mesmo que o especialista tenha paciência na abordagem do idoso.

Nesses casos, o cuidador deve entender que essa pessoa mais velha tem seus costumes que foram fixados em seu modo de ser há muitos anos e que nenhum cuidador mudará isso tão facilmente.

Cuidadores infantis

Apesar de existirem creches, nem todos os pais têm acesso a essas instituições, então alguns contratam cuidadores infantis e, esses profissionais devem ser muito pacientes, já que, as crianças demoram pra dar autoridade para essas pessoas, quando isso acontece.

Alguns filhos costumam obedecer somente os pais, então, quando se deparam com uma pessoa que não conhecem, mas que estão mandando eles obedecerem, os pequenos tornam-se rebeldes.

Por isso, um especialista que tenha feito um curso que ensina como tratar as crianças de maneira profissional estará à frente de muitos que simplesmente tentam medir forças com os pequenos.

Cuidadores de pets

Entre as opções que citamos aqui, essa é a que pode ser considerada mais fácil, já que, apesar de exigir paciência também, o cuidado com os pets costuma ser mais previsível.

Pois, os animais que precisam de cuidados não exigem isso como as crianças e os idosos, por exemplo, já que, basta alimentar, passear, dar banho e manter o pet entretido.

O especialista pode não precisar de tanta paciência para cuidar de um animal doméstico, mas para cuidar dos donos que os tratam como bebês, com certeza, isso será cobrado do cuidador.

5 dicas para escolher o chinelo ideal para o seu pé

Chinelo feminino rasteiro

Chinelo é certamente a peça para seu pé mais versátil que existe. É aquela peça que todos temos em casa pois é tão simples de usar, é ótima para dias quentes, dias na praia ou piscina, ou simplesmente quando você não quer algo muito complicado. É aquela peça relaxada que todos usam e amam por sua versatilidade.

Porém, não se engane, mesmo que chinelos sejam simples ou fáceis de usar, isso não quer dizer que não existe nenhuma consideração ao escolher o chinelo ideal para você. Além do estilo pessoal, existem diversas dicas que podemos mencionar antes de você comprar seu próximo par de chinelo.

Além disso, existem diversos modelos de chinelo, seja sua escolha um chinelo sandália, ortopédico, casual ou os mais comuns feitos de borracha, há sempre uma escolha perfeita para você.

Iremos ver 5 dicas para escolher o chinelo ideal para o seu pé, mantendo em mente não só o charme, mas também o conforto pessoal para que a experiência com seu chinelo seja a melhor possível! Apesar de serem itens muito fáceis de usar, se você aplicar essas dicas antes de obter um novo par, certamente vai amar ainda mais sua escolha.

Como escolher o chinelo ideal para o seu pé?

Para determinar o modelo ideal de chinelo para o seu pé, é preciso considerar certos detalhes. Essas dicas vão explicar quais são esses, apesar de parecerem óbvias, muitos ignoram isso durante a compra de chinelos. Isso ocorre pois, afinal, o chinelo é tão simples de usar e fácil de comprar que, para alguns, não é preciso muito pensamento.

Mas para sua decisão final ser a que você realmente fique satisfeito com o resultado, essas dicas vão mudar completamente o processo de compra de seus chinelos. Leia elas e entenda mais como ter muito mais conforto ao comprar o chinelo ideal para o seu pé.

Identifique o formato de seu pé

Essa dica pode parecer muito simples para alguns, porém o formato de seu pé é a primeira questão a ser analisada antes da compra de qualquer calçado. É bom mencionar que os chinelos no Brasil têm uma numeração dupla e, por isso, podem confundir um pouco quem compra. Ficar atento no formato é ideal para evitar o desconforto após um longo período de uso.

Verifique o solado

Tenha certeza que a sola de seu chinelo é de boa qualidade, muitas vezes esse é o item que você mais vai usar em seu pé durante todos os dias. É um item super casual que a maioria das pessoas usam em casa e, portanto, a sola deve ser de qualidade. 

Sem essa mesma qualidade, a sola pode sair facilmente após ficar desgastada com a quantidade alta de uso.

Avalie o material, acabamento e corte das tiras

Não há situação mais irritante que as tiras de um chinelo arrebentar fora de casa. Checar seu material, se ele é de qualidade ou fraco, seu acabamento e o corte, analisando se foi feito de forma correta e encaixado de forma certa, pode evitar que situações como essa venham a acontecer.

Qualidade de material significa que o plástico usado em um chinelo casual, por exemplo, tem uma maior dureza em suas tiras do que no resto do chinelo. O corte deve ter um formato que encaixe em seu pé sem problemas, além de encaixar no buraco que se encontra no chinelo sem parecer estar querendo sair a todo momento.

Já o acabamento significa comparar seu novo par com outros do qual você já confia, eles são tão bons quanto?

Defina o uso

Como dito antes, existem diversos tipos de chinelo. Chinelos do tipo sandálias, ortopédicos, casuais, etc. Cada um é específico para uma situação, claro, você pode definir o uso que desejar para eles, mas a verdade é que foram feitos pensando em uma situação específica de seu dia.

Compre um chinelo casual para quando quer um chinelo de ficar em casa e, por exemplo, um tipo sandália para sair.

Teste o tamanho

Nesse caso, escolha o número do chinelo tomando base com outros sapatos comprados antes. Se o número de um se seus tênis, por exemplo, é 37, compre um chinelo de número 37/38. Comprar os chinelos do tamanho certo significa que ele irá poder se encaixar de forma correta com o formato de seu pé. Portanto, o tamanho é uma das características que ajudam a determinar um bom chinelo. Talvez, a dica mais importante!

Conclusão

Após essas dicas, com certeza você pode comprar um novo par de chinelo ideal para seu estilo e pé, mostre toda sua personalidade com eles.

Viu como é fácil comprar o chinelo ideal com essas dicas? Seu pé vai agradecer por todo o conforto que essa peça versátil trás! Nunca se esqueça dessas dicas durante suas compras e com certeza vai arrasar com estilo, além de conforto!

Por que a limpeza é tão importante

Por que a limpeza é tão importante

Descubra Por que a limpeza é tão importante

Manter o local de trabalho limpo é uma estratégia de marketing eficaz. Além disso, é uma questão de higiene e cuidado com os funcionários.

 

Isso porque um local bagunçado e desorganizado pode dar aos clientes a impressão de serem descuidados ou mesmo incompetentes nas ações que realizam. E ninguém quer causar essa impressão, certo? Portanto, embora possam surgir algumas dificuldades, é importante garantir saneamento completo em seu negócio.

 

Dê uma olhada nesta publicação como é importante manter um ambiente de trabalho limpo, o que é um ambiente insalubre, como ajuda a aumentar a produtividade dos funcionários, quais são os riscos de um ambiente sujo, qual a importância da terceirização nesta área.. Boa leitura!

Quão importante é manter seu local de trabalho limpo?

Os gerentes de negócios muitas vezes se esquecem de manter seu local de trabalho limpo. Preocupados com a liderança e o desempenho dos funcionários, eles podem esquecer esse requisito. Isso não é alarmante, pois eles têm que estar atentos aos ganhos e outros aspectos administrativos.

 

No entanto, a higiene deve ser uma preocupação do empregador. Principalmente porque você precisa garantir o bem-estar no ambiente de trabalho. Isso ajuda a criar um ambiente produtivo e agradável, propício para um bom trabalho. Tudo se transforma em um atendimento qualificado.

Quais são as consequências de um ambiente “insalubre”?

Do ponto de vista técnico e do ponto de vista dos direitos trabalhistas, a sujeira não faz mal à saúde. No entanto, na prática, pode ser visto desta forma. Afinal, não há dúvida de que um ambiente sujo pode favorecer o crescimento de fungos, vírus e bactérias. Assim, chegam ao clímax nas doenças, principalmente respiratórias.

 

Nesse sentido, a negligência com a limpeza no ambiente de trabalho pode ser prejudicial ao gestor, pois indica que ele não se preocupa com a saúde de seus funcionários. Isso pode significar mais absenteísmo e licença médica.

Como a limpeza afeta a produtividade dos funcionários?

Você provavelmente se sente bem quando sai para um espaço limpo, especialmente se cheira bem e armazena bem. O mesmo sentimento acontece com seus funcionários.

 

Quando estamos em um ambiente ordenado e confortável, tendemos a ficar mais satisfeitos e, portanto, mais motivados para concluir nossas tarefas. Dessa forma, seus funcionários estarão mais aptos a realizar suas tarefas do dia a dia com entusiasmo e flexibilidade.

 

Além de resolver o problema inevitável da desordem interna, essa atitude pode ser vista como uma estratégia que motiva aqueles que trabalham com você, combinando os dois resultados em uma solução.

 

É preciso levar em consideração a saúde, o que já foi mencionado no tópico anterior. O funcionário doente pode nem faltar, mas ainda paga menos do que o normal. O problema se agrava quando a doença persiste e o funcionário é obrigado a permanecer no hospital por tempo indeterminado.

Um ambiente mais limpo é mais produtivo?

Por que a limpeza é tão importante

Além da motivação gerada por cada funcionário, um espaço bem organizado também facilita uma grande variedade de processos que uma empresa deve enfrentar.

 

Imagine a seguinte situação: um documento se perde devido à desorganização e você não pode realizar ações urgentes devido a essa perda.

 

Não há nada mais desesperador, certo? Além de perder tempo, você corre o risco de perder um prazo importante para detalhes que poderiam ser facilmente evitados com um pouco de cuidado e planejamento.

 

Outro exemplo comum é que a desordem pode manchar ou molhar uma pasta cheia de informações relevantes, inutilizando-a e causando danos.

 

Quando essas barreiras não existem, há muito mais espaço para otimizar diferentes requisitos, além de atender aos requisitos de rotina a tempo para manter seu negócio funcionando sem problemas.

 

Outro fator que afeta o desempenho é que o equipamento terá um desempenho melhor. Isso porque eles não são suscetíveis ao desgaste, ferrugem, oxidação e corrosão devido à sujeira, fenômenos que podem reduzir seu desempenho e até causar acidentes no ambiente de trabalho.

Como isso afeta a opinião do cliente?

Além da importância da limpeza do ponto de vista dos trabalhadores, essa importância não pode ser esquecida do ponto de vista dos clientes. Existe um ditado que diz: “A primeira impressão é o que resta.” Nesse sentido, um ambiente de trabalho bagunçado e desorganizado não é favorável à empresa, prejudicando os olhos de seus clientes.

 

Sujeira e desorganização indicam falta de cuidado e preocupação com o meio ambiente. Além disso, eles também podem demonstrar falta de zelo pelo trabalho a ser feito.

 

Esta é uma má impressão, que pode fazer com que o cliente deixe de confiar no serviço prestado e se recuse a fechar o negócio. Reverter esse cenário não é fácil e totalmente evitável.

 

Dicas de como passar um pano para limpeza residencial

Panos

Existem diversos tipos de pano para limpeza doméstica e industrial, além de vários produtos e opções inovadoras no mercado para otimizar e tornar ainda melhor a limpeza do ambiente, seja para pisos, paredes, móveis ou outras superfícies.

Para conhecer algumas dicas de como realizar esses tipos de limpeza, continue lendo este artigo e esclareça suas dúvidas.

Como passar um pano no chão?

Para pisos, opte por panos de microfibra ou algodão. Eles são macios, não arranham nem soltam fiapos. Além disso, o algodão, em especial, possui excelente absorção, facilitando para limpar ambientes frios e úmidos.

Quanto aos laminados, é importante ressaltar que devem ser lavados com cuidado. O contato contínuo com água e calor podem danificá-los. Nestes revestimentos, devem ser utilizados os mesmos tipos de panos que o piso. Todavia, eles precisam ser bem torcidos para evitar o excesso de água.

Para limpar manchas, como vinho, café e batom, é recomendada a limpeza com detergente e álcool a fim de evitar qualquer tipo de dano ao laminado.

Não passe cera em chão revestido, pois isso manchará a superfície. Não utilize também produtos cortantes ou abrasivos, nem à base de silicone, pois eles criam uma camada de gordura que dificultam as próximas limpezas. 

Como passar um pano na mesa?

Caso sua mesa tenha tampo em materiais como madeira, compensado ou Medium Density Fiberboard (MDF), você pode fazer uma mistura com três copos de água, um pouco de sabão líquido e álcool para realizar a limpeza. Use um pano branco ou claro para evitar que o tingimento interfira no móvel. 

Tecidos em algodão tendem a remover melhor toda a sujeira. Para finalizar e retirar os resquícios do produto que possam ter ficado sobre a superfície, lave o pano em água corrente e passe-o novamente.

Como passar um pano na parede?

Dependendo da tinta, revestimento e textura da parede, a forma de limpeza específica pode variar. Uma opção genérica para limpeza é a utilização de panos multiuso imersos em água morna e detergente neutro.

Caso a parede tenha manchas muito fortes, pode ser adicionado à mistura um pouco de vinagre branco ou bicarbonato, que auxilia na remoção de sujeiras mais pesadas. Faça movimentos leves para evitar a retirada ou dano da pigmentação.

Como passar um pano no vidro sem embaçar?

Vidros de janelas, portas, box de banheiros ou outros locais acumulam resíduos com o tempo. Para removê-los, pode ser útil um pano macio, que não solte muitos fiapos e plumas – microfibra, poliéster e poliamida podem ser boas opções.

A mesma misturinha com vinagre ou bicarbonato já mencionada pode ser usada para a limpeza de vidros. Outra opção é passar o pano úmido ou molhado e, caso ainda fique um pouco embaçado, secar com papel-toalha, guardanapo ou mesmo papel higiênico. Eles proporcionam efeito secante e retiram quaisquer pluminhas que possam ter ficado na superfície.

Como lavar um pano de limpeza?

Após a utilização dos panos na limpeza no ambiente, eles devem ser lavados individualmente em água corrente para retirar o excesso de sujeiras e produtos. Se estiverem imundos, podem ser colocados de molho com água sanitária e outros desinfetantes. 

A lavagem pode ser feita à mão com o auxílio de uma escova, esponja ou da máquina de lavar roupas. Entretanto, esta segunda opção costuma diminuir a vida útil do pano. 

Depois de limpos e bem torcidos, esses materiais devem ser estendidos em local com ventilação para uma secagem mais rápida.

Gostou dessas informações? Envie para aquele amigo (a) que vai amar essas dicas! Elas foram selecionadas com o intuito de facilitar o processo para que sua casa fique limpinha e cheirosa, da forma mais prática e eficiente, porque sabemos que a sensação de casa limpa é sempre maravilhosa!

Qual a importância da alimentação hospitalar na recuperação do paciente?

Comida hospitalar

Conhecemos bem a fama das comidas hospitalares. Os relatos de alguns pacientes são negativos em grande parte das vezes, mas será que isso é uma regra? A alimentação hospitalar é de fato ruim?

Continue lendo esta postagem para entender qual a importância da dieta à qual o paciente é submetido durante uma internação e como ela pode ser muito mais agradável do que as pessoas imaginam.

Por que a dieta é importante?

A dieta hospitalar é muito bem elaborada e segue rígidos padrões. Um paciente internado em uma unidade de saúde está, naturalmente, enfraquecido e necessita de cuidados. Além dos medicamentos, as instalações, a higiene, os cuidados pessoais e a alimentação fazem toda diferença.

Portanto, é um conjunto de fatores integrados que garantem a recuperação e o bem estar do paciente. 

Agora, a respeito da alimentação, compreenda como ela pode ser decisiva. Sua implementação garante o fornecimento correto de nutrientes para o corpo adoecido ou convalescente, ajudando-o a se recuperar mais rapidamente. 

Outra contribuição da dieta é a sua capacidade de fortalecer o organismo e fazer com que o indivíduo consiga superar os desafios que envolvem uma internação. Ele vai passar por diversos procedimentos, muitas vezes invasivos, e precisa estar bem nutrido para manter suas taxas equilibradas. 

Sabemos que nossa relação com a comida vai muito além de suprir necessidades físicas. Comer estimula os sentidos e nos faz experimentar boas sensações. Por isso, a dieta hospitalar pode acabar ajudando também mentalmente o paciente.

Como o diagnóstico influencia na alimentação do paciente?

Em alguns casos, principalmente em quadros mais graves, a dieta é montada de acordo com as necessidades que o estado de saúde traz para o paciente. Por exemplo, pessoas com câncer têm grande perda energética e precisam de uma alimentação mais forte.

Já pessoas com queimaduras, por exemplo, têm mais necessidade de proteínas e isso é inserido em sua dieta. Do mesmo modo existem quadros nos quais o paciente precisa retirar algo de sua dieta, como o açúcar em diabéticos. 

Enfim, a dieta pode ser estabelecida de acordo com o quadro de saúde do paciente, auxiliando em sua recuperação e sendo coadjuvante em todo o tratamento. É aí que reside a importância do diagnóstico correto. 

Porém é comum que pacientes percam o apetite durante o período de internação. Muitos se recusam a comer o cardápio oferecido por não sentirem prazer naquele alimento. Nesses casos, cabe aos profissionais da saúde tratarem individualmente de cada caso para estudar a possibilidade de modificar o menu.

Como o cardápio do paciente é elaborado?

Numa cozinha convencional, seja de casa ou de um restaurante, todo o processo produtivo se inicia a partir da elaboração do cardápio. É ele que vai determinar o que vai ser feito, como vai ser feito e em que ordem tudo será produzido.

Igualmente, em uma cozinha hospitalar é o cardápio que vai orientar a produção. Ele determina a quantidade, a ordem, as matérias primas e a pessoa que vai fazer aquela comida. 

São produzidos diferentes pratos, que o nutricionista vai direcionar aos pacientes corretos para que a alimentação cumpra seu papel complementar no tratamento do paciente. A elaboração do cardápio é feita seguindo quatro princípios: quantidade, qualidade, adequação e harmonia. 

Existem inclusive empresas especializadas em fornecer pães para hospital. Eles são tão saborosos quanto os convencionais e são produzidos de maneira a se encaixar corretamente nas diferentes dietas dos pacientes. 

A comida do hospital é ruim?

Agora vamos responder à pergunta mais esperada: a comida do hospital é ruim? Esta é uma visão um tanto antiquada, pois as coisas mudaram bastante no decorrer dos anos. 

Atualmente, os hospitais têm investido cada vez mais na qualidade da dieta dos pacientes e até elaboram pratos mais criativos, que estimulam o paciente a comer. A experiência da internação tem se tornado cada vez menos desafiadora devido a iniciativas como esta. 

Algumas unidades hospitalares usam pratos coloridos para divertir as crianças, outros perguntam ao paciente quais seus alimentos preferidos para ver a possibilidade de incluí-los na dieta. Esse trabalho humanizado pode mudar positivamente o quadro de saúde de uma pessoa. 

Fonte: https://saudedasaude.anahp.com.br/nutricao-no-hospital-por-que-a-dieta-e-importante-na-recuperacao-do-paciente/

O que é Streetwear: entenda o estilo e veja dicas de looks

Estilo mais despojado

Seu look streetwear está dentro do estilo? Se você está na dúvida com relação a isso, acompanhe esta postagem e aprenda como surgiu o estilo e fique por dentro das dicas dos especialistas para não errar. 

O que é e como surgiu o estilo streetwear?

Primeiramente, vamos entender qual é a história do Streetwear, como e onde ele surgiu. Isso vai fazer você entender que se trata muito mais do que simplesmente uma roupa descolada, ele é uma expressão de moda. 

Os pioneiros desse movimento, lá na década de 80, eram homens. Por isso as primeiras roupas foram confeccionadas pensando no público masculino. Além disso, o estilo seguia a moda dos surfistas. 

Portanto, eram roupas maiores, camisetas despojadas e mais largas. A ideia era ir contra a moda mais refinada e elegante que estava em alta naquela época.  A fórmula era simples: as pessoas usavam camisetas e moletons porque gostavam disso. Este uniforme estava vinculado ao conforto e à auto expressão.

Como outros movimentos culturais importantes, o streetwear cresceu rapidamente e simultaneamente nas principais cidades e regiões do mundo. À medida que cresceu, fortaleceu a cultura negra, que foi pioneira no uso desse estilo e na associação dele ao Rap. 

Quais os principais elementos que compõem o streetwear?

Algumas peças de roupa são indispensáveis para compor o estilo. Veja quais elementos não podem faltar:

Boné streetwear

É impossível pensar em estilos urbanos sem associá-los diretamente ao uso dos bonés. Principalmente os de aba reta, são uma das principais expressões do estilo streetwear.

Por isso, ele é um elemento indispensável. E à medida que o tempo foi passando, o acessório foi se tornando mais democrático, sendo fabricado tanto para homens quanto para mulheres. 

Touca streetwear

Além do boné, a touca também fez a cabeça dos adeptos desse estilo. Principalmente no inverno, homens e mulheres jovens aderem ao uso do acessório para compor o look, seja para o dia ou para a noite.

Principalmente aquelas toucas mais curtas são bastante utilizadas e dão um ar mais sofisticado ao estilo despojado, causando uma mistura de certa forma impactante. A escolha é ideal para o tempo mais frio ou para participações artísticas, por exemplo.

Tênis streetwear

Outro item indispensável para o streetwear! Se a intenção do look é justamente deixar você mais confortável, o tênis é a composição ideal. Existem os mais variados modelos, mas os mais procurados são aqueles maiores e super coloridos.

Algumas pessoas também gostam de usar tênis com cano mais alto, estilo basqueteiras. Eles são confortáveis e estilosos, além de protegerem bem os pés e os tornozelos, o que é bom para a prática de alguns esportes de rua. 

Camiseta T-shirt streetwear

A camiseta é um elemento primordial, que tem algumas especificidades. Ela precisa ser comprida e larga, geralmente corresponde a um ou dois tamanhos maior que as camisetas convencionais. 

Preferencialmente, deve ter estampas despojadas, mas também pode ser lisa e sem qualquer detalhe. Muita gente dá preferência às brancas ou pretas, mas a cor também pode variar de acordo com o seu gosto.

Moletom com capuz streetwear

O moletom com capuz vai ser o toque final que vai garantir o despojado do look. Ele, assim como a camiseta, precisa ser comprido e largo. É uma ótima peça para quem vive em cidades onde o clima costuma mudar rapidamente. 

5 Dicas para montar um look e ficar no estilo

Agora que você sabe quais peças são indispensáveis, vamos às dicas para a montagem do look:

  1. Escolha a peça principal. Normalmente é uma peça que vai dizer quais as outras que podem ser usadas. Por exemplo, escolha o moletom primeiro. Com base nele, decida quais as outras peças.
  2. Veja o conforto do look. Não adianta adotar um estilo que se baseia no conforto e ter peças que não proporcionam isso. Veja se a peça te deixa livre, não te aperta e pode ser usada durante todo o dia sem incomodar.
  3. Escolha os acessórios certos. Nem toda combinação vai dar certo. Tenha sempre peças que conversem entre si para facilitar sua escolha.

Como os suplementos alimentares reagem em nosso organismo?

Existem vários tipos de suplementos alimentares no mercado. Cada um foi desenhado para um efeito específico, geralmente relacionado a algum objetivo do consumidor. 

Alguns ajudam a emagrecer, outros a ganhar massa muscular – sem contar os que conferem energia.

Quase todo mundo sabe sobre os resultados dos suplementos. Afinal, é comum receber recomendação de amigos de academia – às vezes até de produtos ilegais e perniciosos.

Mas como os produtos para academia reagem em nosso organismo? Essa pergunta é um pouco complexa, mas tentamos respondê-la neste post. 

Leia até o final!

Suplementos aumentam a massa magra

Há um consenso generalizado de que suplementos aumentam a massa magra. Isso é verdade sim, mas em parte: usar os produtos sem treinar não vai trazer nenhum resultado.

Os produtos mais populares são os reparadores. O Whey Protein é o líder desse segmento, tendo fãs ao redor do mundo. Diversos estudos comprovaram sua eficiência, desde que seu uso esteja enquadrado em uma rotina de exercícios e dieta balanceada.

A massa magra surge quando desgastamos nossos músculos durante o treino. Quer dizer, para ser mais preciso, ela é incrementada na hora de reparar os danos causados pelos treinos, deixando os músculos volumosos e fortes.

Alguns produtos atuam nessa reconstrução muscular, fazendo com que os resultados sejam mais rápidos.

Ajudam a eliminar gordura

Como já mencionamos, há diversos tipos de suplementos no mercado, inclusive para eliminar gordura. Porém, essa queima ocorre de duas maneiras, a direta e a indireta. Ambas têm seu papel na modelagem do corpo.

Alguns produtos forçam a eliminação de gordura. No caso, procuram remover as células lipídicas de maneira artificial, como se fosse uma lipoaspiração – só que sem a cirurgia.

Outros, por outro lado, deixam o corpo mais forte, permitindo que a pessoa treine com mais afinco. Nesse caso, quase todos os suplementos funcionam para eliminar gordura de maneira indireta.

Vale reforçar que não existe mágica aqui. É necessário seguir uma dieta balanceada e realizar exercícios físicos com constância.

Deixam o metabolismo mais rápido

O metabolismo está relacionado às reações que nosso corpo realiza, em vista de manter nosso organismo funcionando. Ele é um dos principais responsáveis pelo emagrecimento passivo, dado que um metabolismo alto ajuda a queimar gordura.

É importante notar que seu valor está relacionado a diversos fatores, principalmente com o gasto calórico diário do indivíduo. Em geral, quem usa mais o corpo tende a ter um metabolismo mais rápido – requisitando mais alimentos.

Os pedreiros, por trabalharem duro o dia inteiro, costumam comer muito durante as refeições. Isso é tão chamativo que existe a famosa piada “prato de pedreiro”, fazendo referência à quantidade de comida que uma pessoa colocou no prato.

Alguns produtos termogênicos aceleram o metabolismo diretamente. Outros, como o Whey Protein e Creatina, permitem treinos mais duros, o que também acelera as reações químicas em nosso corpo.

Entregam nutrientes essenciais

Existe um motivo – até meio óbvio – desses produtos se chamarem suplementos: eles são indicados para complementar a alimentação do indivíduo. Isso está se tornando cada dia mais necessário, em vista da rotina que temos.

É muito comum faltar nutrientes em nossas refeições. Se você não seguir uma dieta balanceada, com certeza falta algo em seu prato – e isso atrapalha os resultados de seus treinos.

As proteínas são vitais para ganhar músculos e manter o corpo forte, de maneira geral. Sem elas, não adianta realizar exercícios de ganho de massa muscular, pois seu organismo não terá material para tal feito.

Podem acarretar vasodilatação

Alguns suplementos têm como ação a vasodilatação, que nada mais é que aumentar o calibre das artérias. Dessa forma, o coração consegue bombear mais sangue para os músculos, permitindo mais nutrientes – e resultados mais rápidos.

Esse efeito também aumenta a quantidade de oxigênio nos músculos. Portanto, é possível realizar mais atividades físicas antes de sentir o desgaste muscular.

Em geral, suplementos dessa natureza são usados em combinação com outros. Dessa forma, os efeitos do segundo são potencializados por causa do primeiro.

Fornecem energia para o treino

Existem suplementos que não entregam quase nenhum elemento essencial ao organismo. No entanto, seus compostos servem para otimizar determinadas reações em nosso corpo, e uma delas é aumentar a energia.

A creatina, por exemplo, atua de maneira direta na produção e armazenamento de ATP pelo músculo. Assim, o atleta consegue treinar por mais tempo – normalmente aumentando a carga de cada exercício.

Embora sejam pequenas alterações no curto prazo, elas mostram seu valor ao longo do tempo, com resultados impressionantes.

Deixam o cérebro ativo

Por último, temos o efeito dos suplementos no cérebro. Alguns deles afetam de forma protetiva nosso sistema nervoso central, afastando diversas doenças, como o Parkinson e o Alzheimer.

Além disso, outros deixam o cérebro muito mais ativo, como é o caso da cafeína. Uma dose antes do treino e você está pronto para uma sessão de muito esforço – mesmo depois do trabalho!

 

Que roupa devo usar no exame admissional?

Exame médico admissional

Uma das etapas para a contratação de um novo colaborador em uma empresa é o exame admissional.

Para muitas pessoas esse procedimento pode causar ansiedade, seja por não entender sua finalidade, pelas histórias de constrangimento ao trabalhador ou por medo de reprovação.

O exame admissional é uma avaliação médica obrigatória, prevista pelo artigo 168 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). E complementa o trabalho do RH – que foca na análise das experiências, qualificações e perfil do candidato – avaliando as condições físicas, mentais e a saúde do trabalhador.

Esse processo pode gerar muitas dúvidas: que roupa devo usar no exame admissional? Como me comportar? O que esperar? Para eliminar suas incertezas com relação a este processo, elaboramos este artigo, que lhe ajudará a entender o que é e como funciona o exame admissional.

Vamos lá!

O que é o exame admissional

O exame admissional é obrigatório por lei a todos os trabalhadores que executam suas funções em regime CLT e deve ser realizado antes do colaborador iniciar suas atividades na empresa.

O objetivo é conhecer o histórico médico do novo profissional, suas condições físicas e mentais, e se ele está realmente apto para assumir e desempenhar as funções designadas para o cargo.

Trata-se, também, de uma precaução que a empresa deve tomar para ter certeza de que o empregado não possui nenhum problema de saúde ou limitações que podem ser agravadas pela função que ele desempenha no novo emprego.

Cada profissão pode determinar quais exames serão necessários de acordo com suas especificidades, graus de risco e recomendações. 

Por exemplo, para um profissional cujo cargo exige movimentos muito repetitivos, é importante avaliar a presença de lesões e a saúde de suas articulações, o médico pode averiguar a postura e os movimentos deste trabalhador para ter certeza que o quadro não piore.

Qual a importância do exame admissional?

O exame admissional é de extrema importância, pois:

  • É uma forma de proteger a saúde e a integridade física e mental do trabalhador;
  • Serve como respaldo legal tanto para a empresa quanto para o trabalhador, garantindo sua aptidão para realizar a função designada e que ele será indenizado devidamente em casos de acidentes de trabalho, enquanto garante que a empresa não sofra processos por problemas de saúde que o funcionário já apresentava ou adquiriu em outro emprego.

Além disso, é por meio do exame admissional que futuros acidentes podem ser evitados, garantindo que a contratação seja tranquila e segura, e oferece orientações aos empregadores, principalmente em casos de profissionais com limitações físicas e intelectuais.

Quais são os exames admissionais obrigatórios?

O exame admissional configura um procedimento simples e objetivo, para a realização de uma análise básica da saúde do paciente/trabalhador. E dependendo do caso, exames complementares podem ser solicitados pelo médico do trabalho.

Conheça os exames obrigatórios:

Anamnese médica

Consiste numa conversa ou entrevista com o trabalhador para que o médico passe a ter ciência sobre seu histórico de saúde mental e física.

E é com base nessa entrevista que o médico pode encontrar respostas e entender, entre outras coisas:

  • O histórico familiar do paciente;
  • Se seus trabalhos anteriores ofereciam alguma espécie de risco, como ruídos elevados ou exposição a químicos.

Avaliações físicas e psicológicas

Esta etapa é realizada após a anamnese, para identificar se há ocorrência de doenças ocupacionais, lesões, fraturas, etc. É nesse momento que as avaliações físicas e psicológicas são feitas.

A aferição da pressão arterial, da visão, dos batimentos cardíacos, do abdômen, membros e coluna. É possível, também, que sejam solicitados exames de sangue e urina, para verificação da glicemia ou da presença de substâncias tóxicas (álcool e outras drogas).

Exames complementares

Caso seja necessário, conforme a profissão a ser exercida pelo trabalhador, exames complementares podem ser solicitados – audiometria (para profissionais de telemarketing) ou exames para testar a acuidade visual (para motoristas), por exemplo.

Esta categoria de exames são importantes não apenas para cuidar da saúde geral do profissional, mas para dar atenção às especificidades e particularidades de cada ocupação.

Qual roupa usar no exame admissional?

Esta é uma das grandes dúvidas que surgem quando o trabalhador é contratado e precisa realizar o exame admissional.

Mas não há motivo para pânico ou receio. É importante ter sempre em mente que, por mais que este exame tenha suas particularidades, a medicina do trabalho não é muito diferente da medicina clínica, e a abordagem do médico em ambas é similar.

No entanto, a responsabilidade do médico trabalhista é avaliar a aptidão do trabalhador para a função ser exercida e o fornecimento do Atestado de saúde Ocupacional (AOS) após avaliação.

O ideal é que o paciente a ser analisado use roupas confortáveis, principalmente em casos onde serão necessários testes de aptidão para funções que exigem muito esforço físico, sendo necessário, para estes casos, uso de roupas folgadas, tênis.

Durante alguns exames específicos, pode ser solicitada a retirada das roupas, por isso, é sempre bom evitar vestimentas muito apertadas, justas e que dificultem a agilidade do processo. Veja algumas dessas situações:

  • Hérnia inguinal: empregos que exigem muito esforço físico, e exercícios pesados podem agravar ou fazer surgir este problema, que é um deslocamento do abdômen, por isso o médico pode solicitar a retirada das roupas de baixo ou de peças íntimas;
  • Ecocardiograma: para verificação de problemas no coração, onde pode ser solicitada a retirada da blusa, e do sutiã (no caso das mulheres);
  • Radiografia do tórax: que pode ser feito de roupas, mas é necessário se atentar para não deixar peças de metais no corpo.

É possível ser reprovado no exame admissional?

Como dissemos, o exame admissional existe para proteger a saúde e a integridade do trabalhador, e não deve ser motivo de exclusão ou ser usado para impossibilitar sua contratação.

Mas pode acontecer de o candidato ser reprovado, por não estar apto ao exercício de sua função, em termos médicos. Por exemplo, um profissional que precisa ficar muitas horas sentado, mas é identificado uma hérnia de disco que o impede de realizar essa ação. 

Se este for o caso, o candidato tem o direito de receber explicações detalhadas e esclarecimentos sobre qual o motivo da reprovação, que deve estar diretamente ligada à sua saúde e não à sua qualificação e/ou habilidades profissionais.

Qualquer empregador sério, responsável e atento, trata com seriedade a saúde do colaborador e cuida daqueles que são sua força de trabalho, compreendendo e evitando ao máximo os riscos aos quais os trabalhadores podem ser expostos.

O exame admissional é a melhor forma garantir que toda e qualquer situação seja gerenciada com eficiência, evitando doenças, lesões e acidentes.