4 Dicas de como vestir o bebê no inverno

Bebê feliz

A chegada dos dias frios requer cuidados no momento de agasalhar o bebê, pois a temperatura deles – principalmente dos recém-nascidos – é diferente da nossa.

Vestir o neném por meio de camadas de roupas é a melhor maneira de mantê-lo aquecido. Dessa forma, é mais fácil realizar a troca de fralda e fazer ajustes rápidos, caso ele fique com calor ou se suje.

Está com dúvida de como arrumar o bebê corretamente no inverno? Continue conosco para entender melhor sobre a construção de camadas de vestimentas e para evitar ultrapassar a quantidade adequada.

Quantidade de roupa ideal para vestir o bebê no inverno

Nos dias frios é importante aquecer o neném com roupas quentinhas, mas tenha cuidado para não deixá-lo superaquecido.

É comum o aumento de doenças respiratórias nos períodos de baixas temperaturas, por isso é essencial proteger o bebê por meio de mais peças de roupa.

Porém, aquecer um recém-nascido, além do necessário, pode acarretar em uma leve desidratação por excesso de suor e deixar bebês maiores irritados e chorosos.

Confira as próximas dicas para tornar mais fácil a decisão de quantas vestimentas colocar no neném e como mantê-lo aquecido no inverno.

1. Construa camadas

Pensar no conforto e na segurança do bebê é indispensável na hora de vesti-lo. Por conta disso, construir camadas de roupas é a maneira ideal para garantir que ele esteja com a temperatura adequada e, ao mesmo tempo, fique tranquilo e protegido.

O body de algodão com manga comprida é uma boa opção para começar, assim como uma calça com o mesmo tecido. 

Por cima, você pode inserir um macacão. Esse tipo de peça é prático de colocar e tirar, além de ter alternativas finas – para os dias que não estão tão gelados – e mais grossas – ideais para aqueles dias de frio intenso.

Entre os diversos tipos tecidos de macacões, estão:

  • plush – com toque macio e suave, indicado para temperaturas mais baixas;
  • flame – confortável e com textura fina, ideal para dias amenos;
  • soft – tecido grossinho, próprio para invernos mais rigorosos.

Casaquinhos de malha também são interessantes, você pode escolhê-los ao invés do macacão ou usá-los juntos.

A Academia Americana de Pediatria indica que as camadas sejam construídas a partir de quando o clima está abaixo de 24 graus. Monitorar a previsão do tempo pode auxiliar na hora de vestir o seu bebê adequadamente.

2. Atente-se para as extremidades

Proteger as extremidades, como cabeça, mãos e pés, é essencial para manter o neném aquecido. 

Em dias de frio intenso, lembre-se de usar acessórios para deixá-lo quentinho. Luvas, meias e toucas são ótimas opções de peças que ajudam a conservar a temperatura ideal.

3. Invista em mantas e cobertores

Um sono tranquilo é possível quando o bebê está com a temperatura corporal amena, ou seja, sem excesso ou falta de roupa.

Na hora da soneca, opte por usar mantas e cobertores que sejam leves e quentinhos, mas tenha cuidado para não ocorrer sufocamento. 

Os recém-nascidos ficam confortáveis quando são enroladinhos em uma coberta, como um charutinho. Assista ao vídeo do canal do YouTube Manual do Recém-nascido, da mãe e empresária Dayane dos Anjos, para aprender a técnica.

Os sacos de dormir são opções mais seguras e ideais para as noites de sono ou para quando você não consegue ficar vigiando, pois eles permitem que o bebê se movimente, fique aquecido e é adaptado para proteger contra o sufocamento.

4. Tenha diversas trocas

Os pequenos sujam as roupinhas com facilidade. Por conta disso, o ideal é ter diversas peças para trocar sempre disponíveis. 

Em alguns locais, o inverno é acompanhado de chuvas intensas. Lembre-se de ter peças suficientes nesses períodos.

Quais são os sinais de que ele está com frio?

Certificar que o bebê está bem agasalhado é importante. Identifique se precisa colocar mais peças verificando a temperatura das costas, barriga ou peito dele. Caso nesses locais ele esteja gelado, é necessário acrescentar uma camada de roupa.

Entretanto, se o neném estiver com os cabelos da nuca molhados, as bochechas vermelhas, as roupinhas úmidas ou irritado, ele está com excesso de vestimenta. Retire uma camada e aguarde alguns minutos para saber se a quantidade está adequada.

Averiguar a temperatura nos pés e nas mãos não é a maneira adequada, pois essas partes do corpo costumam ser mais frias que o restante.

Caso continue com dúvidas, você pode medir a temperatura com um termômetro. O ideal é que ela esteja entre 36,5 a 37,2 graus. Cuidado para não confundir febre com calor ao verificar um grau elevado.

Os bebês sentem mais frio do que os adultos?

Um recém-nascido demanda mais cuidados em relação às vestimentas. Eles possuem uma pele mais sensível e o seu sistema termorregulador (controle de temperatura natural do corpo) não está ainda maduro.

Por conta disso, redobre os cuidados durante os primeiros meses de vida do neném. Verifique com frequência a temperatura corporal e invista em peças confortáveis e quentes, principalmente se o nascimento ocorrer no inverno.

Pronto! Agora você está preparada para vestir corretamente o seu neném durante o inverno. Seguindo todas as dicas que foram mencionadas neste artigo, você terá facilidade em identificar se a roupa está adequada, precisando retirar ou acrescentar peças.

Compartilhe este conteúdo com familiares e amigos que possam se interessar pelo assunto. Caso tenha ficado alguma dúvida, recorra aos comentários para que possamos lhe ajudar.

Dicas de como passar um pano para limpeza residencial

Panos

Existem diversos tipos de pano para limpeza doméstica e industrial, além de vários produtos e opções inovadoras no mercado para otimizar e tornar ainda melhor a limpeza do ambiente, seja para pisos, paredes, móveis ou outras superfícies.

Para conhecer algumas dicas de como realizar esses tipos de limpeza, continue lendo este artigo e esclareça suas dúvidas.

Como passar um pano no chão?

Para pisos, opte por panos de microfibra ou algodão. Eles são macios, não arranham nem soltam fiapos. Além disso, o algodão, em especial, possui excelente absorção, facilitando para limpar ambientes frios e úmidos.

Quanto aos laminados, é importante ressaltar que devem ser lavados com cuidado. O contato contínuo com água e calor podem danificá-los. Nestes revestimentos, devem ser utilizados os mesmos tipos de panos que o piso. Todavia, eles precisam ser bem torcidos para evitar o excesso de água.

Para limpar manchas, como vinho, café e batom, é recomendada a limpeza com detergente e álcool a fim de evitar qualquer tipo de dano ao laminado.

Não passe cera em chão revestido, pois isso manchará a superfície. Não utilize também produtos cortantes ou abrasivos, nem à base de silicone, pois eles criam uma camada de gordura que dificultam as próximas limpezas. 

Como passar um pano na mesa?

Caso sua mesa tenha tampo em materiais como madeira, compensado ou Medium Density Fiberboard (MDF), você pode fazer uma mistura com três copos de água, um pouco de sabão líquido e álcool para realizar a limpeza. Use um pano branco ou claro para evitar que o tingimento interfira no móvel. 

Tecidos em algodão tendem a remover melhor toda a sujeira. Para finalizar e retirar os resquícios do produto que possam ter ficado sobre a superfície, lave o pano em água corrente e passe-o novamente.

Como passar um pano na parede?

Dependendo da tinta, revestimento e textura da parede, a forma de limpeza específica pode variar. Uma opção genérica para limpeza é a utilização de panos multiuso imersos em água morna e detergente neutro.

Caso a parede tenha manchas muito fortes, pode ser adicionado à mistura um pouco de vinagre branco ou bicarbonato, que auxilia na remoção de sujeiras mais pesadas. Faça movimentos leves para evitar a retirada ou dano da pigmentação.

Como passar um pano no vidro sem embaçar?

Vidros de janelas, portas, box de banheiros ou outros locais acumulam resíduos com o tempo. Para removê-los, pode ser útil um pano macio, que não solte muitos fiapos e plumas – microfibra, poliéster e poliamida podem ser boas opções.

A mesma misturinha com vinagre ou bicarbonato já mencionada pode ser usada para a limpeza de vidros. Outra opção é passar o pano úmido ou molhado e, caso ainda fique um pouco embaçado, secar com papel-toalha, guardanapo ou mesmo papel higiênico. Eles proporcionam efeito secante e retiram quaisquer pluminhas que possam ter ficado na superfície.

Como lavar um pano de limpeza?

Após a utilização dos panos na limpeza no ambiente, eles devem ser lavados individualmente em água corrente para retirar o excesso de sujeiras e produtos. Se estiverem imundos, podem ser colocados de molho com água sanitária e outros desinfetantes. 

A lavagem pode ser feita à mão com o auxílio de uma escova, esponja ou da máquina de lavar roupas. Entretanto, esta segunda opção costuma diminuir a vida útil do pano. 

Depois de limpos e bem torcidos, esses materiais devem ser estendidos em local com ventilação para uma secagem mais rápida.

Gostou dessas informações? Envie para aquele amigo (a) que vai amar essas dicas! Elas foram selecionadas com o intuito de facilitar o processo para que sua casa fique limpinha e cheirosa, da forma mais prática e eficiente, porque sabemos que a sensação de casa limpa é sempre maravilhosa!

Qual a importância da alimentação hospitalar na recuperação do paciente?

Comida hospitalar

Conhecemos bem a fama das comidas hospitalares. Os relatos de alguns pacientes são negativos em grande parte das vezes, mas será que isso é uma regra? A alimentação hospitalar é de fato ruim?

Continue lendo esta postagem para entender qual a importância da dieta à qual o paciente é submetido durante uma internação e como ela pode ser muito mais agradável do que as pessoas imaginam.

Por que a dieta é importante?

A dieta hospitalar é muito bem elaborada e segue rígidos padrões. Um paciente internado em uma unidade de saúde está, naturalmente, enfraquecido e necessita de cuidados. Além dos medicamentos, as instalações, a higiene, os cuidados pessoais e a alimentação fazem toda diferença.

Portanto, é um conjunto de fatores integrados que garantem a recuperação e o bem estar do paciente. 

Agora, a respeito da alimentação, compreenda como ela pode ser decisiva. Sua implementação garante o fornecimento correto de nutrientes para o corpo adoecido ou convalescente, ajudando-o a se recuperar mais rapidamente. 

Outra contribuição da dieta é a sua capacidade de fortalecer o organismo e fazer com que o indivíduo consiga superar os desafios que envolvem uma internação. Ele vai passar por diversos procedimentos, muitas vezes invasivos, e precisa estar bem nutrido para manter suas taxas equilibradas. 

Sabemos que nossa relação com a comida vai muito além de suprir necessidades físicas. Comer estimula os sentidos e nos faz experimentar boas sensações. Por isso, a dieta hospitalar pode acabar ajudando também mentalmente o paciente.

Como o diagnóstico influencia na alimentação do paciente?

Em alguns casos, principalmente em quadros mais graves, a dieta é montada de acordo com as necessidades que o estado de saúde traz para o paciente. Por exemplo, pessoas com câncer têm grande perda energética e precisam de uma alimentação mais forte.

Já pessoas com queimaduras, por exemplo, têm mais necessidade de proteínas e isso é inserido em sua dieta. Do mesmo modo existem quadros nos quais o paciente precisa retirar algo de sua dieta, como o açúcar em diabéticos. 

Enfim, a dieta pode ser estabelecida de acordo com o quadro de saúde do paciente, auxiliando em sua recuperação e sendo coadjuvante em todo o tratamento. É aí que reside a importância do diagnóstico correto. 

Porém é comum que pacientes percam o apetite durante o período de internação. Muitos se recusam a comer o cardápio oferecido por não sentirem prazer naquele alimento. Nesses casos, cabe aos profissionais da saúde tratarem individualmente de cada caso para estudar a possibilidade de modificar o menu.

Como o cardápio do paciente é elaborado?

Numa cozinha convencional, seja de casa ou de um restaurante, todo o processo produtivo se inicia a partir da elaboração do cardápio. É ele que vai determinar o que vai ser feito, como vai ser feito e em que ordem tudo será produzido.

Igualmente, em uma cozinha hospitalar é o cardápio que vai orientar a produção. Ele determina a quantidade, a ordem, as matérias primas e a pessoa que vai fazer aquela comida. 

São produzidos diferentes pratos, que o nutricionista vai direcionar aos pacientes corretos para que a alimentação cumpra seu papel complementar no tratamento do paciente. A elaboração do cardápio é feita seguindo quatro princípios: quantidade, qualidade, adequação e harmonia. 

Existem inclusive empresas especializadas em fornecer pães para hospital. Eles são tão saborosos quanto os convencionais e são produzidos de maneira a se encaixar corretamente nas diferentes dietas dos pacientes. 

A comida do hospital é ruim?

Agora vamos responder à pergunta mais esperada: a comida do hospital é ruim? Esta é uma visão um tanto antiquada, pois as coisas mudaram bastante no decorrer dos anos. 

Atualmente, os hospitais têm investido cada vez mais na qualidade da dieta dos pacientes e até elaboram pratos mais criativos, que estimulam o paciente a comer. A experiência da internação tem se tornado cada vez menos desafiadora devido a iniciativas como esta. 

Algumas unidades hospitalares usam pratos coloridos para divertir as crianças, outros perguntam ao paciente quais seus alimentos preferidos para ver a possibilidade de incluí-los na dieta. Esse trabalho humanizado pode mudar positivamente o quadro de saúde de uma pessoa. 

Fonte: https://saudedasaude.anahp.com.br/nutricao-no-hospital-por-que-a-dieta-e-importante-na-recuperacao-do-paciente/

Ordenha mecânica ou ordenha manual: vantagens, desvantagens e principais diferenças?

Leite fresco

Uma coisa é aprender a ordenhar manualmente uma vaca , outra é ordenhar uma vaca usando uma máquina de ordenha. Uma coisa certa é que requer menos trabalho para realmente ordenhar a vaca, mas mais trabalho será envolvido para garantir que a máquina esteja limpa e bem mantida antes e depois do uso.

Entenda como funciona cada processo e quais suas vantagens e desvantagens.

Como é feita a ordenha manual?

Por milhares de anos, a única maneira de os humanos obterem leite de uma vaca leiteira era manualmente, um processo trabalhoso que pode levar até 30 minutos por vaca. Esse processo ainda é usado quando o produtor tem um número pequeno de animais.

Consiste basicamente em higienizar as tetas da vaca e realizar a ordenha com as mãos, fazendo o movimento correto. Os materiais utilizados são, basicamente, um balde, uma peia, um coador e um banquinho para o ordenhado sentar. 

Vantagens e desvantagens

A primeira e talvez a melhor vantagem de ordenhar manualmente suas vacas, cabras ou ovelhas é que você tem um contato mais próximo com o animal. Há algo muito pessoal e satisfatório quando se trata de  ordenhar cabras, vacas ou ovelhas manualmente, e muitos fazendeiros sentem que a experiência é aquela que realmente dá a sensação de que estão em uma fazenda.

Além disso, se você tiver apenas um animal ou dois para ordenhar, a ordenha manual é indiscutivelmente a melhor opção. No entanto, isso não se aplica se você tiver um animal exigente ou se a vaca, ovelha ou cabra produzir uma quantidade considerável de leite.

No entanto, as desvantagens da ordenha manual são consideráveis, especialmente se você for mais velho ou tiver dificuldade em usar as mãos para tarefas como a ordenha.

  • Esforço: O esforço de até mesmo ordenhar uma única vaca pode ser doloroso e certamente cansativo para quem sofre de artrite ou já tem uma certa idade.
  • Leite impuro: mesmo se você usar uma peneira, haverá algum tipo de sujeira, detritos e até mesmo partículas de esterco no leite, o que pode torná-lo menos saudável para você consumir.
  • Consumir tempo: Leva tempo quando se trata de ordenhar ovelhas, vacas ou cabras. O tempo que pode ser usado em outro lugar em sua propriedade ou fazenda.

Como é feita a ordenha mecânica?

Na ordenha mecânica, o leite é retirado das tetas da vaca por um vácuo que é criado dentro do dispositivo do copo, forçando o leite através do canal da teta. O pulsador alterna a pressão, primeiro criando um vácuo (fase de leite) e, em seguida, aplicando ar, o que faz com que o forro flexível do copo se feche e massageie o teto (fase de repouso). 

O processo alternado de leite e repouso é continuado em um padrão rítmico para a saúde das vacas e boa produtividade do leite.

A ordenha mecânica exige um pouco mais do que a ordenha manual, não só em termos de equipamentos mas também com relação aos processos. Entenda como ela acontece passo a passo:

  • Verificação e limpeza da máquina, pois o leite cru tende a secar e grudar nas peças e convidar sujeira e outros objetos estranhos para as diferentes partes da máquina, o que pode acabar contaminando o leite
  • Anexar os tubos e tampas à máquina corretamente. Qualquer um que não esteja conectado corretamente (ou não esteja conectado) não criará uma vedação a vácuo necessária para a ordenha.
  • Colocar a vaca em pé em seu suporte com um pouco de ração, ela precisa estar confortável. 
  • Limpar o úbere para evitar contaminação.
  • Mergulhe as tetas com uma solução de iodo a 70%, espere secar, remova o excesso com um pano limpo e não toque mais nelas.

Vantagens e desvantagens.

Para quem tem uma ou duas vacas, talvez um par de cabras ou ovelhas, a ideia de comprar uma máquina de ordenha pode parecer, à primeira vista, um grande investimento para uma quantidade aparentemente pequena de trabalho. No entanto, existem vantagens consideráveis ​​quando se trata de usar uma máquina.

  • Leite Limpo: Graças à bomba de vácuo que se ajusta firmemente em torno da teta, não há sujeira, resíduos ou esterco que penetre no leite. Tudo o que você precisa fazer é limpar rapidamente a tetina antes de começar e você terá um leite limpo como resultado.
  • Ordenha rápida: como a máquina é portátil, ela é mais fácil e rápida de usar do que a ordenha manual. Uma vez que a máquina é conectada, o ordenador garante que você obtenha mais leite em menos tempo enquanto o animal permanece confortável.
  • Fácil de usar: Isso é particularmente bom para quem tem problemas para usar as mãos, pois a máquina exige muito menos mão-de-obra.

As desvantagens desse processo tem mais a ver com os cuidados necessários com a máquina do que com a própria ordenha em si.

O que é Streetwear: entenda o estilo e veja dicas de looks

Estilo mais despojado

Seu look streetwear está dentro do estilo? Se você está na dúvida com relação a isso, acompanhe esta postagem e aprenda como surgiu o estilo e fique por dentro das dicas dos especialistas para não errar. 

O que é e como surgiu o estilo streetwear?

Primeiramente, vamos entender qual é a história do Streetwear, como e onde ele surgiu. Isso vai fazer você entender que se trata muito mais do que simplesmente uma roupa descolada, ele é uma expressão de moda. 

Os pioneiros desse movimento, lá na década de 80, eram homens. Por isso as primeiras roupas foram confeccionadas pensando no público masculino. Além disso, o estilo seguia a moda dos surfistas. 

Portanto, eram roupas maiores, camisetas despojadas e mais largas. A ideia era ir contra a moda mais refinada e elegante que estava em alta naquela época.  A fórmula era simples: as pessoas usavam camisetas e moletons porque gostavam disso. Este uniforme estava vinculado ao conforto e à auto expressão.

Como outros movimentos culturais importantes, o streetwear cresceu rapidamente e simultaneamente nas principais cidades e regiões do mundo. À medida que cresceu, fortaleceu a cultura negra, que foi pioneira no uso desse estilo e na associação dele ao Rap. 

Quais os principais elementos que compõem o streetwear?

Algumas peças de roupa são indispensáveis para compor o estilo. Veja quais elementos não podem faltar:

Boné streetwear

É impossível pensar em estilos urbanos sem associá-los diretamente ao uso dos bonés. Principalmente os de aba reta, são uma das principais expressões do estilo streetwear.

Por isso, ele é um elemento indispensável. E à medida que o tempo foi passando, o acessório foi se tornando mais democrático, sendo fabricado tanto para homens quanto para mulheres. 

Touca streetwear

Além do boné, a touca também fez a cabeça dos adeptos desse estilo. Principalmente no inverno, homens e mulheres jovens aderem ao uso do acessório para compor o look, seja para o dia ou para a noite.

Principalmente aquelas toucas mais curtas são bastante utilizadas e dão um ar mais sofisticado ao estilo despojado, causando uma mistura de certa forma impactante. A escolha é ideal para o tempo mais frio ou para participações artísticas, por exemplo.

Tênis streetwear

Outro item indispensável para o streetwear! Se a intenção do look é justamente deixar você mais confortável, o tênis é a composição ideal. Existem os mais variados modelos, mas os mais procurados são aqueles maiores e super coloridos.

Algumas pessoas também gostam de usar tênis com cano mais alto, estilo basqueteiras. Eles são confortáveis e estilosos, além de protegerem bem os pés e os tornozelos, o que é bom para a prática de alguns esportes de rua. 

Camiseta T-shirt streetwear

A camiseta é um elemento primordial, que tem algumas especificidades. Ela precisa ser comprida e larga, geralmente corresponde a um ou dois tamanhos maior que as camisetas convencionais. 

Preferencialmente, deve ter estampas despojadas, mas também pode ser lisa e sem qualquer detalhe. Muita gente dá preferência às brancas ou pretas, mas a cor também pode variar de acordo com o seu gosto.

Moletom com capuz streetwear

O moletom com capuz vai ser o toque final que vai garantir o despojado do look. Ele, assim como a camiseta, precisa ser comprido e largo. É uma ótima peça para quem vive em cidades onde o clima costuma mudar rapidamente. 

5 Dicas para montar um look e ficar no estilo

Agora que você sabe quais peças são indispensáveis, vamos às dicas para a montagem do look:

  1. Escolha a peça principal. Normalmente é uma peça que vai dizer quais as outras que podem ser usadas. Por exemplo, escolha o moletom primeiro. Com base nele, decida quais as outras peças.
  2. Veja o conforto do look. Não adianta adotar um estilo que se baseia no conforto e ter peças que não proporcionam isso. Veja se a peça te deixa livre, não te aperta e pode ser usada durante todo o dia sem incomodar.
  3. Escolha os acessórios certos. Nem toda combinação vai dar certo. Tenha sempre peças que conversem entre si para facilitar sua escolha.

Vale a pena contratar uma empresa de recrutamento e seleção?

Recrutamento e seleção

Ao contrário do que muitos imaginam, o processo de seleção e recrutamento de novos colaboradores é extremamente complexo e exige conhecimentos específicos. 

Ter esse processo bem estruturado é fundamental para melhorar a atração de talentos,  evitar alta rotatividade, baixa produtividade das equipes e gastos excessivos com contratações e demissões. 

É preciso analisar o comportamento de cada candidato, currículo, portfólio, fazer testes práticos, conferir recomendações, montar testes em grupo, entrevistas dinâmicas e criar um bom relacionamento com todos os possíveis contratados para ter melhores condições de negociação caso seja necessário. 

Com o recrutamento humanizado, em que o processo é focado no bem-estar das pessoas, esse processo  envolve ainda mais etapas. Embora pareça difícil, ele é necessário para uma relação saudável entre os candidatos e a empresa. Então, a solução para empresas que não têm um departamento estruturado de recursos humanos  ou profissionais especializados para essa atividade é a terceirização de recrutamento e seleção.

Existem diversas empresas especializadas em Recursos Humanos e processos seletivos que prestam esse serviço. É uma opção interessante porque poupa tempo dos gestores do negócio, evita falhas e faz uma seleção mais assertiva conforme suas necessidades e valores.

Algumas prestadoras de serviços ainda fazem o acompanhamento dos novos funcionários por alguns meses para analisar seus resultados e identificar se aquele é o profissional ideal para a vaga – como uma fase de experiência.

Mais uma forma de poupar tempo e recursos para gestores e empreendedores que precisam se novos colaboradores, mas não podem deixar outras funções de lado durante o processo. 

Entenda a seguir como funciona a terceirização de recrutamento e seleção de candidatos e entenda por que é uma opção tão vantajosa para as empresas!

Terceirize o recrutamento de sua empresa para melhores resultados

Essa opção é conveniente para todos os lados. Para a empresa, é possível fazer boas contratações, sem gastar tempo e energia em processos seletivos – momentos que poderiam ser investidos  em outras atividades essenciais para o crescimento do negócio.

Ao candidato, a vantagem é que todas as etapas do recrutamento serão feitas por profissionais capacitados e especializados em processos seletivos. Ou seja, além de ser um serviço humanizado, a pessoa contará  com o apoio de profissionais para tirar dúvidas, executando as etapas com mais liberdade – desempenhando o seu melhor – com menos pressão e no final do processo, poderá se beneficiar de feedbacks construtivos.

Como funciona? É simples. O primeiro passo é o entendimento da vaga, necessidades, valores e preferências da empresa. Então, por meio de reuniões, ambas as partes esclarecerão as dúvidas e alinharão os requisitos, chegando à ideia do que é o candidato ideal para aquela vaga.

Com isso feito, a empresa contratada fará todo o processo de seleção com todas as etapas necessárias, e seus profissionais deverão direcionar ao gestor do processo na empresa cliente, os melhores candidatos para aquela vaga. É possível combinar caso o gestor queira participar de reuniões, ter feedbacks por etapas ou deseja apenas ter o nome do candidato mais indicado no final do recrutamento para contratá-lo. 

Ou seja, todo o processo é terceirizado, feito pela empresa contratada. São recrutamentos simples, rápidos e assertivos. A questão é: vale a pena terceirizar essa atividade? Sem sombras de dúvidas!

Vantagens da terceirização de recrutamento e seleção

Além da economia de tempo, sempre vale a pena buscar especialistas para fazer trabalhos que exigem competências específicas. Muito gestor, líder e empresário não têm conhecimento – e nem deveriam, dependendo do setor que atuam – para analisar comportamentos e estruturar processos seletivos  assertivos.

Dessa forma, é importante contratar profissionais capacitados para essa atividade assim, terá certeza de que encontrará o candidato ideal para a vaga, além de construir um banco de talentos para futuras oportunidades.

Se a vaga for estratégica (gestores e líderes), que têm maior impacto nos resultados e são  capazes de mudar o fluxo de trabalho e desempenho da equipe, é ainda mais importante contar com o apoio das consultorias de recrutamento. Com certeza, vale a pena avaliar um investimento deste tipo.

Outra vantagem é a identificação de talentos. Um bom colaborador pode mudar completamente o rumo de uma empresa. Em alguns casos, o grande diferencial de um negócio é seu quadro de funcionários – que são extremamente qualificados, engajados e competentes.

Já parou para pensar por esse lado? Então o recomendado não é contratar apenas bons profissionais. O ideal é encontrar talentos, aqueles que se diferenciam dos demais candidatos pela sua alta capacidade ao mesmo tempo, que se identifiquem com o propósito da sua empresa.

São esses profissionais que devem ocupar cadeiras importantes na sua empresa e são eles que farão a diferença no dia a dia, trazendo mais resultados para o negócio, mantendo-o sempre competitivo diante dos concorrentes.

Como encontrar esses talentos? Com o apoio de profissionais experientes e capacitados, com o olhar apurado em processos seletivos. A consultoria de recrutamento é ideal nesses momentos, já que buscará todas as características e habilidades necessárias nos candidatos até achar aquele que se diferencia, demonstra um talento real para a atividade.

Onde encontrar consultorias de recrutamento?

Existem diversas empresas de recrutamento e seleção no mercado. Por exigir tantas responsabilidades, o ideal é pesquisar muito antes de contratar alguma. Encontre referências, opiniões de outros clientes e investigue sua confiabilidade.

Para apresentar tantos benefícios como os citados, é preciso contratar empresas qualificadas e com bastante experiência em Recursos Humanos e processos seletivos.

Que roupa devo usar no exame admissional?

Exame médico admissional

Uma das etapas para a contratação de um novo colaborador em uma empresa é o exame admissional.

Para muitas pessoas esse procedimento pode causar ansiedade, seja por não entender sua finalidade, pelas histórias de constrangimento ao trabalhador ou por medo de reprovação.

O exame admissional é uma avaliação médica obrigatória, prevista pelo artigo 168 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). E complementa o trabalho do RH – que foca na análise das experiências, qualificações e perfil do candidato – avaliando as condições físicas, mentais e a saúde do trabalhador.

Esse processo pode gerar muitas dúvidas: que roupa devo usar no exame admissional? Como me comportar? O que esperar? Para eliminar suas incertezas com relação a este processo, elaboramos este artigo, que lhe ajudará a entender o que é e como funciona o exame admissional.

Vamos lá!

O que é o exame admissional

O exame admissional é obrigatório por lei a todos os trabalhadores que executam suas funções em regime CLT e deve ser realizado antes do colaborador iniciar suas atividades na empresa.

O objetivo é conhecer o histórico médico do novo profissional, suas condições físicas e mentais, e se ele está realmente apto para assumir e desempenhar as funções designadas para o cargo.

Trata-se, também, de uma precaução que a empresa deve tomar para ter certeza de que o empregado não possui nenhum problema de saúde ou limitações que podem ser agravadas pela função que ele desempenha no novo emprego.

Cada profissão pode determinar quais exames serão necessários de acordo com suas especificidades, graus de risco e recomendações. 

Por exemplo, para um profissional cujo cargo exige movimentos muito repetitivos, é importante avaliar a presença de lesões e a saúde de suas articulações, o médico pode averiguar a postura e os movimentos deste trabalhador para ter certeza que o quadro não piore.

Qual a importância do exame admissional?

O exame admissional é de extrema importância, pois:

  • É uma forma de proteger a saúde e a integridade física e mental do trabalhador;
  • Serve como respaldo legal tanto para a empresa quanto para o trabalhador, garantindo sua aptidão para realizar a função designada e que ele será indenizado devidamente em casos de acidentes de trabalho, enquanto garante que a empresa não sofra processos por problemas de saúde que o funcionário já apresentava ou adquiriu em outro emprego.

Além disso, é por meio do exame admissional que futuros acidentes podem ser evitados, garantindo que a contratação seja tranquila e segura, e oferece orientações aos empregadores, principalmente em casos de profissionais com limitações físicas e intelectuais.

Quais são os exames admissionais obrigatórios?

O exame admissional configura um procedimento simples e objetivo, para a realização de uma análise básica da saúde do paciente/trabalhador. E dependendo do caso, exames complementares podem ser solicitados pelo médico do trabalho.

Conheça os exames obrigatórios:

Anamnese médica

Consiste numa conversa ou entrevista com o trabalhador para que o médico passe a ter ciência sobre seu histórico de saúde mental e física.

E é com base nessa entrevista que o médico pode encontrar respostas e entender, entre outras coisas:

  • O histórico familiar do paciente;
  • Se seus trabalhos anteriores ofereciam alguma espécie de risco, como ruídos elevados ou exposição a químicos.

Avaliações físicas e psicológicas

Esta etapa é realizada após a anamnese, para identificar se há ocorrência de doenças ocupacionais, lesões, fraturas, etc. É nesse momento que as avaliações físicas e psicológicas são feitas.

A aferição da pressão arterial, da visão, dos batimentos cardíacos, do abdômen, membros e coluna. É possível, também, que sejam solicitados exames de sangue e urina, para verificação da glicemia ou da presença de substâncias tóxicas (álcool e outras drogas).

Exames complementares

Caso seja necessário, conforme a profissão a ser exercida pelo trabalhador, exames complementares podem ser solicitados – audiometria (para profissionais de telemarketing) ou exames para testar a acuidade visual (para motoristas), por exemplo.

Esta categoria de exames são importantes não apenas para cuidar da saúde geral do profissional, mas para dar atenção às especificidades e particularidades de cada ocupação.

Qual roupa usar no exame admissional?

Esta é uma das grandes dúvidas que surgem quando o trabalhador é contratado e precisa realizar o exame admissional.

Mas não há motivo para pânico ou receio. É importante ter sempre em mente que, por mais que este exame tenha suas particularidades, a medicina do trabalho não é muito diferente da medicina clínica, e a abordagem do médico em ambas é similar.

No entanto, a responsabilidade do médico trabalhista é avaliar a aptidão do trabalhador para a função ser exercida e o fornecimento do Atestado de saúde Ocupacional (AOS) após avaliação.

O ideal é que o paciente a ser analisado use roupas confortáveis, principalmente em casos onde serão necessários testes de aptidão para funções que exigem muito esforço físico, sendo necessário, para estes casos, uso de roupas folgadas, tênis.

Durante alguns exames específicos, pode ser solicitada a retirada das roupas, por isso, é sempre bom evitar vestimentas muito apertadas, justas e que dificultem a agilidade do processo. Veja algumas dessas situações:

  • Hérnia inguinal: empregos que exigem muito esforço físico, e exercícios pesados podem agravar ou fazer surgir este problema, que é um deslocamento do abdômen, por isso o médico pode solicitar a retirada das roupas de baixo ou de peças íntimas;
  • Ecocardiograma: para verificação de problemas no coração, onde pode ser solicitada a retirada da blusa, e do sutiã (no caso das mulheres);
  • Radiografia do tórax: que pode ser feito de roupas, mas é necessário se atentar para não deixar peças de metais no corpo.

É possível ser reprovado no exame admissional?

Como dissemos, o exame admissional existe para proteger a saúde e a integridade do trabalhador, e não deve ser motivo de exclusão ou ser usado para impossibilitar sua contratação.

Mas pode acontecer de o candidato ser reprovado, por não estar apto ao exercício de sua função, em termos médicos. Por exemplo, um profissional que precisa ficar muitas horas sentado, mas é identificado uma hérnia de disco que o impede de realizar essa ação. 

Se este for o caso, o candidato tem o direito de receber explicações detalhadas e esclarecimentos sobre qual o motivo da reprovação, que deve estar diretamente ligada à sua saúde e não à sua qualificação e/ou habilidades profissionais.

Qualquer empregador sério, responsável e atento, trata com seriedade a saúde do colaborador e cuida daqueles que são sua força de trabalho, compreendendo e evitando ao máximo os riscos aos quais os trabalhadores podem ser expostos.

O exame admissional é a melhor forma garantir que toda e qualquer situação seja gerenciada com eficiência, evitando doenças, lesões e acidentes.

5 dicas de como economizar dinheiro ganhando pouco por mês

Planejamento financeiro

A maior dificuldade de se viver no Brasil é o salário que muitos recebem no final de cada mês, no qual não dura por muito tempo, decorrente de tantos pagamentos que obrigatoriamente precisamos fazer.

Mesmo ganhando pouco, é possível arranjar um jeitinho para poupar uma parte dessa renda líquida e reservá-la para o futuro. Assim, todos poderemos, algum dia, desfrutar das economias em algo que tanto queremos.

Hoje vou dar algumas dicas de como economizar dinheiro ganhando pouco por mês. Continue lendo e descubra.

1- Controle de gastos, o Planejamento financeiro

Uma grande parcela da população brasileira encontra-se endividada e isso causa ainda mais dificuldade para quem planeja consertar sua vida financeira e começar a economizar dinheiro ganhando pouco por mês.

O problema é exatamente as dívidas que mês a mês se acumulam e fazem parecer que nossos objetivos estão cada vez mais distantes de nós, com isso gerando a desmotivação e o desleixo de gerenciar nossos gastos.

Com isso, saímos comprando tudo que vemos pela frente como uma forma de suprir essa necessidade de saciar um pouco o desejo de realização, mesmo que represente mais uma dívida para ser paga no final do mês.

Para quem ganha pouco, isso é uma catástrofe financeira. Mas, é possível contornar, aos poucos, essa situação complicada. A começar pelo controle rígido de gastos. Vamos começar montando uma planilha com todas as contas a pagar e separá-las por tipo.

  • As contas mais urgentes (indispensáveis;
  • As contas sem urgência (que podem ser deixadas em segundo plano).

Usando o modelo 50/30/20 você pode organizar o destino da sua renda líquida e gerenciar no que são gastos, priorizando antes de tudo a qualidade de vida. A maior parte deve sempre ser destinada a contas fixas como luz, água, etc.

A média parte, os 30% – se a necessidade for grande, pode-se aumentar essa porcentagem – são direcionados a contas variáveis, quitação de dívidas, gastos com serviços, etc.

A parte que sobrou dessa somatória toda é a porcentagem que vai ser poupada e posta em um fundo de emergência ou investimento.

Mas, todas as minhas contas não fecharam com o que eu ganho no mês, e agora?

Bem, se isso aconteceu, tente entrar em contato com cobradores ou renegociar suas dívidas para parcelas menores e mais prazo, assim poderá ajustar o valor até se encaixar no seu orçamento.

Uma dica que eu dou é primeiro focar nas contas mais atrasadas para evitar cair no SPC ou Serasa, em seguida, lidar com as variáveis.

2- Cortando gastos

Quando comparamos os gastos de 30 anos atrás, com os que temos atualmente, percebemos uma adição de muito mais despesas e pouco dinheiro, por exemplo, o consumo streamer, assinaturas digitais de aplicativos, até a própria internet.

A começar pelo corte de gastos nessa área, se você trabalha pela internet, pode optar por escolher um pacote de planos mais baratos e cancelar a contratação de serviços como Netflix e Amazon Prime, que geram gastos extras.

Economize também nas suas saídas, invista mais numa alimentação mais caseira sem idas a bares, lanchonetes ou shoppings.

Compras pela internet só em último caso, quando não há outra opção e haja muita necessidade. A mesma coisa pode ser atribuída ao cartão de crédito, que causa ainda mais gastos altos.

Agora que você já tem uma ideia, pode pesquisar ai nas suas contas e identificar contas que não afetarão sua qualidade de vida caso fique sem. Assim vai gerar mais receita líquida para economizar.

3- Suprima o impulso de compra

Comprar é válvula de escape de muitos brasileiros para diversas situações chatas que geram quedas emocionais que acabam gerando a “compra compulsória”. Existem também aquelas pessoas que apenas gostam de comprar, tudo que vêem ou são loucas por uma promoção.

Nesses casos, pode ser uma boa evitar ir a locais, centros, shopping que incitem essa vontade de comprar. Tentar se controlar também ajuda, mas tenha força de vontade.

Dessa forma você economiza dinheiro ganhando pouco por mês.

4- Crie objetivos a curto, médio e longo prazo

Buscar por metas ou objetivos é um incentivo bem forma para economizar dinheiro ganhando pouco ou muito dinheiro por mês. Quando estamos animados com alguma coisa ficamos focados e é disso que precisamos para seguir na nossa rotina de economia.

Existem diversos objetivos que você pode criar, comprar algo incrível, fazer uma viagem, trocar de carro, levar alguém para jantar, são muitos a escolher e pode até estabelecer prazos para eles.

Objetivos a curto e médio prazo são aqueles que duram até 6 meses ou mais, os de longo prazo passam de 1 ano, então organize-se bem.

Focado nisso, inicie a concretização do seu objetivo separando uma parcela fixa do seu salário por mês, faça disso um hábito mensal.

5- Ganhando mais dinheiro

Vamos voltar lá no primeiro tópico, quando surgiu a dúvida “e se não sobrar dinheiro para economizar?”. Uma opção viável é simplesmente ganhar mais dinheiro. Ficou confuso agora, né? Deixa eu explicar.

Existem muitas formas de conseguir ter a certeza de que se vai conseguir duplicar um determinado valor, nisso já entramos no assunto de investimento. Separe uma parte do valor que seria destinado a pagamento de contas variáveis e utilize para investir.

É realmente complicado falar isso, mas, lembre-se que conversando todos arranjam um jeitinho de dar certo, renegociar a dívida sempre é possível, o que não pode acontecer é você ficar sem dinheiro.

Para isso vamos escolher a opção de investimento de alta liquidez, que seja seguro, rápido e tenha um retorno agradável. Geralmente, investimentos de alta liquidez podem ser retirados entre 1 e 30 dias, gerando lucros para o investidor.

Nessa brincadeira você pode acabar com quase o dobro daquilo que investiu, podendo pagar a dívida posteriormente e usar o resto para adicionar as suas economias. Uma boa dica pra quem quer economizar ganhando pouco dinheiro por mês.

Para começar você pode procurar o seu banco e conversar com o responsável sobre essa possibilidade. Boa sorte e bons lucros!

Você sabe quais são as principais causas de incêndio no Brasil?

Os incêndios são uma das principais ocorrências de acidentes domésticos no Brasil. Esta é uma situação de emergência muito temida, já que caso aconteça, pode comprometer a estrutura do imóvel, gerar prejuízos incalculáveis e ainda levar vidas.

Apesar dos incêndios serem temidos, muitas pessoas não têm os cuidados necessários para evitar um acidente como este. Grande parte da população são imprudentes e pensam “isso nunca vai acontecer comigo!”, porém todos estão suscetíveis a essa situação e caso aconteça, o estrago pode ser grande.  

 

As principais causas de incêndio no Brasil 

 

O fogo é muito usado nos lares, como para cozinhar, por exemplo.  Porém quando ele fica fora de controle, pode se tornar em um incêndio, que é capaz de tirar muitas vidas e destruir rapidamente o seu maior bem material. 

Como vamos citar no texto, são situações do dia a dia que podem causar tantos problemas, então a atenção precisa ser redobrada por toda a casa.

 

Crianças brincando com o fogo

 

Você sabia que grande parte dos incêndios no Brasil são causados por crianças? Brincadeiras com fósforos, fácil acesso ao fogo, soltar balões e outras atividades podem ser extremamente perigosas não somente para os pequenos, mas para todos da casa! 

Ficar de olho nas crianças pode parecer algo básico a ser feito, porém um instante de descuido pode causar um grande acidente. 

 

Hábitos na cozinha

 

A desatenção na cozinha é um fator que causa muitos acidentes. Deixar os alimentos mais tempo do que deveriam fritando ou cozinhando, esquecer o óleo e aquecê-lo em excesso, entre outras atitudes podem iniciar um incêndio. 

Além da falta de atenção ao cozinhar, existem outros hábitos na cozinha aumentam as chances de incêndio,  como esquecer o fogão ligado ao sair, colocar uma cortina próxima das bocas do fogão etc.

Por esses motivos, a atenção neste cômodo da casa deve ser mais do que redobrada. Como também já foi dito, deixar as crianças sem acesso ao fogo, principalmente na cozinha, é muito importante. 

 

Problemas na rede elétrica

 

Este é um problema recorrente que causa muitos acidentes e, infelizmente, um dos mais destrutivos. Isso porque os fios ficam dentro das paredes ou mais escondidos pela casas e pegam os moradores de surpresa. 

Uma das causas de acidentes na rede elétrica é a fiação antiga, que começa a descansar ou ficar com mal contato, o que pode produzir faíscas e começar com o fogo.  

Outra causa de incêndio é a sobrecarga na rede elétrica da casa. Quando muitos aparelhos elétricos são ligados ao mesmo tempo em uma só tomada pode gerar um curto circuito. Essa é uma das principais causas de incêndio no mundo. Situação que pode se agravar com os “gatos” na rede elétrica da casa. 

 

Vazamento de gás

 

A maior parte da população brasileira usa forno e fogão a gás e o vazamento deste material pode ser fatal. Isso porque, um pequeno vazamento pode gradualmente acumular uma concentração explosiva de gás. 

Como evitar incêndios

 

Como foi dito, um incêndio é um acidente perigoso que pode gerar grandes perdas a uma família. Além dos cuidados que citamos ao longo do texto, há diversas formas de prevenir essa situação e lidar com ela de forma segura caso aconteça. 

Por mais que seja impossível anular por completo o risco de que um incêndio ocorra, é possível se prevenir, tomar certos cuidados e ficar atento aos sinais na rede elétrica e vazamento de gás, por exemplo. 

 

Como saber se a rede elétrica está sobrecarregada

 

O recomendado é não ligar vários aparelhos em uma só tomada, por meio de extensões e benjamins. Caso aconteça, um dos sinais clássicos de sobrecarga de energia é quando a luz de uma lâmpada fica fraca, então se atente a este sinal e tome as medidas necessárias o mais rápido possível se percebê-lo. 

Faça a manutenção da rede elétrica periodicamente para evitar que a fiação envelheça e descasque como foi dito. 

 

Vazamento de gás

 

Esse é um acidente muito perigoso, já que pode causar explosões. Se você sentir o cheiro de gás pela casa, não ligue as luzes! Abra as janelas e portas e deixe a ventilação entrar. 

 

Proteção contra incêndios 

 

Não é comum que as pessoas tenham extintores, alarmes, saídas de emergência, entre outros equipamentos, em casa. Porém as medidas da proteção passiva (PP) são perfeitas para os imóveis residenciais. 

A PP é um conjunto de soluções que tem como objetivo ganhar tempo para as pessoas evacuarem o local e não prejudicar a estrutura do imóvel, evitando grandes perdas.  

As medidas da proteção passiva evitam a propagação. Uma das suas soluções é o enclausuramento da rede elétrica, fazendo com que caso haja um curto circuito o fogo fique somente nos dutos e não se espalhe pela casa. Além da aplicação de produtos para que os seus móveis resistam ao fogo e não ajude a espalhar as chamas. 

Esses são alguns dos benefícios da proteção passiva que pode te ajudar e muito na prevenção de incêndios. 

 

Como escolher a área do concurso ideal

Como escolher a área do concurso ideal é uma das maiores dúvidas de quem deseja se candidatar aos processos seletivos, uma vez que, ao ser aprovado e ocupar o cargo, a pessoa, provavelmente, exercerá a função por um longo período.

Por mais que os benefícios, salário e estabilidade, sejam muito atraentes, devemos colocar os contras na balança, pois ao se candidatar e ser aprovado em um cargo no qual não se sinta confortável, será difícil exercer a função com eficiência, além disso, pode ser muito desgastante a longo prazo.

Portanto, o ideal é saber como escolher a área do concurso público que deseja, realmente, exercer a função porque se identifica com a mesma.

Confira a seguir quais as dicas para ajudar a selecionar o concurso ideal pra você:

Dicas: Como escolher a área do concurso ideal

Você já encontrou cursos online para concurso, site de rateio de concursos e materiais que podem ajudá-lo a conquistar aprovação, mas ainda está em dúvida se o concurso a qual vai concorrer é o certo? Confira as dicas a seguir:

Teste vocacional

Os testes vocacionais podem ser encontrados na internet, através deles você responde um questionário e recebe o resultado das áreas profissionais que mais se assemelham ao seu perfil.

Pesquise sobre as atribuições do cargo

É importante que você realize pesquisas sobre as atribuições de um profissional que ocupa o cargo do concurso público. Desse modo, é possível identificar quais as funções você deverá exercer se conquistar sua aprovação.

Assim evitará surpresas e tempo se preparando para prestar outros concursos, só porque não se adaptou.

Converse com outros concurseiros

Por mais que conversar com alguém sobre o assunto, pareça desmotivador, acredite, falar com quem tem experiência no assunto, pode ser o divisor de águas. Muitas pessoas já passaram diversas vezes por esta etapa, ocuparam o tão sonhado cargo, mas em alguns anos decidiram abrir mão, ou, simplesmente, ainda trabalham com um segmento que não gosta.

Conversas com outros concurseiros, ajudam a entender quais os erros e acertos eles cometeram, para usar as informações como lição e observação ao tomar a decisão de se candidatar a um concurso público.

Não leve em consideração apenas os benefícios

Os benefícios de ocupar um cargo oferecido através de concurso público, são muito atraentes, mas pode exigir algumas mudanças, como exemplo, trocar o endereço de residência, possuir especializações específicas, entre outros.

Realizar uma especialização ou grande mudança na rotina, apenas por conta de um salário mais alto, numa área que não possui afinidade, pode ser desgastante e muito mais trabalhoso do que imagina.

É preciso considerar todos os detalhes, bem como as exigências e demais dicas anteriores.

Leia o edital completo sempre

Muitas pessoas só leem as informações que lhe interessam, normalmente, salário, data de concurso, exigências para inscrição, taxa de pagamento e local. No entanto, ler o edital completo é essencial para evitar surpresas, uma vez que, todos os dados sobre a vaga oferecida, estarão ali.

Ao ler o edital completo, você pode definir se, realmente, deseja se inscrever e ocupar o cargo oferecido neste concurso público.

Saber como escolher a área do concurso, pode parecer trabalhoso, mas não é. Basta ser sincero consigo, identificando o real motivo para concorrer ao mesmo, se possui afinidade com a função, e se está disposto a atender aos requisitos necessários.